Do Átomo à Galáxia

Do Átomo à Galáxia

“O NITROGÊNIO em nosso DNA.  O CÁLCIO em nossos dentes.  O FERRO em nosso sangue.  O CARBONO em nossas tortas de maçã.  Foram criados no interior de estrelas em colapso. Nós somos poeira das estrelas.”
— Carl Sagan
 
Você já deve ter ouvido que nós somos todos ‘’poeira estelar’’, essa afirmação se deve ao fato de que todos os átomos mais pesados (do hélio para cima na tabela periódica) são criados nas estrelas e, …quando morremos, voltamos ao que éramos, voltamos a ser parte do mundo, da terra, viramos vários sistemas ecológicos que alimentam colônias de insetos e outros animais, ao menos se formos enterrados.
 
A questão do que ocorre com nossa essência, que quero dizer, não é científica… Permanecemos relevantes enquanto as pessoas se lembram da gente, nossa vida é a memória que elas têm. Deixar um legado, fazer diferença no mundo enquanto vivos, isso é o que é importante e que dá sentido à vida que temos.
 
Então, o sentido da vida é buscar por sentido na vida. É viver com intensidade, celebrando a simples beleza do inesperado, das coisas que acontecem por acaso e que definem nossa existência. O encontro inusitado, a notícia que surpreende, a chance que surge.
 
Contudo, assim como os sentidos são únicos, eles também são mutáveis. O que pode nos levar a descobrir algum propósito também em situações desfavoráveis, quando enfrentamos um destino que não pode ser mudado.
 
No livro O Homem em Busca de um Sentido, Viktor Frankl –  neuropsiquiatra austríaco, fundador da terceira escola vienense de psicoterapia, a Logoterapia e Análise Existencial –    aborda a questão do sentido da vida. Ex-prisioneiro do campo de concentração de Auschwitz ele faz um relato da sua experiência e as situações muito difíceis vivenciadas naquele ambiente de dor, sofrimento e privações. E reflete:
 

O que é, então, um ser humano? É o ser que sempre decide o que ele é. É o ser que inventou as câmaras de gás; mas é também aquele ser que entrou nas câmaras de gás, ereto, com uma oração nos lábios.

 
Nesse contexto o autor adverte que quando a circunstância é boa, devemos desfrutá-la; quando não é favorável devemos transformá-la e quando não pode ser transformada, devemos transformar a nós mesmos.   E, conclui: “Tudo pode ser tirado de uma pessoa, salvo uma coisa: a liberdade de escolher sua atitude em qualquer circunstância da vida.”
 
Ressalto, por fim,  como ponto de reflexão, que  a nossa existência não pode ser pautada somente no que temos a esperar da vida, mas também, no que a vida espera de nós.
Bibliografia
FRANKL, Viktor E. in “Em Busca de Sentido”
GLEISER, Marcelo in  “A Harmonia do Mundo”
Liz

6 Comentários

Utopia Publicado em17:18 - 18 de setembro de 2020

Cada ser humano é único e nenhum pode ser comparado com outro, visto que cada um tem sua própria história..
Talvez nunca teremos uma resposta para o sentido da vida, mas o que importa não é isso,mas sim o sentido específico da vida de uma pessoa, em determinada fase de sua existência…

    Liz Publicado em09:20 - 17 de outubro de 2020

    “– A falta e a busca é que fazem a vida do homem. A angústia move a busca. A angústia é negativa quando o homem não busca uma solução para esta.”

Utopia Publicado em01:34 - 12 de outubro de 2020

“Há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia”
Shakespeare

    Liz Publicado em09:16 - 17 de outubro de 2020

    E, como sempre, Shakespeare nos mostra a realidade, nossa mente é muito pequena para entendermos tudo sobre tudo.

      Utopia Publicado em23:39 - 20 de outubro de 2020

      Estamos todos conectados; uns aos outros biologicamente, à Terra quimicamente e ao resto do universo atomicamente.

      Neil deGrasse Tyson

Alex Publicado em16:41 - 2 de dezembro de 2020

Gostei bastante do seu blog. Legal o conteudo. Parabéns
🙂